Rapidinhas

28/7/2014

Marcelo Freixo falou e disse sobre as prisões recentes de ativistas no Rio de Janeiro.

*  *  *

O Flamengo ganhou apenas um dos últimos oito jogos no Campeonato Brasileiro. Qual? Aquele em que o técnico não era o estrategista pão-de-queijo.A coisa continua feia, mas já se vislumbra alguma luz no fim do túnel.

 

Biblioteca Sem Paredes amanhã

25/7/2014

Amanhã (sábado) tem Biblioteca Sem Paredes no Bar da Portuguesa, em Ramos. Recomendo passar por lá para buscar um livro. Se quiser, pode levar também. Informações no cartaz abaixo:

Convite Bar da Portuguesa

 

Rapidinhas

24/7/2014

Eis que o estrategista pão-de-queijo foi demitido. Lá vamos nós para mais um ano com três ou quatro técnicos. Vai ver, é parte da “nova etapa, já prevista anteriormente“…

O Van Gaal ipatinguense ficou pouco mais de dois meses no cargo. Não deixará saudades. Espero ter um descanso de pelo menos uns 15 anos até que outro gênio dirigente do Flamengo resolva contratá-lo novamente.

Talvez o único ponto positivo das vezes em que o Rinus Michels que veio das Gerais foi técnico do Fla tenha sido me motivar a escrever sobre o time. Talvez.

Durante estas nove ou dez tenebrosas e intermináveis semanas, escrevi 11 textos falando do time, do clube, do técnico e/ou da diretoria. Na grande maioria deles, analisei o desempenho da equipe e do estrategista pão de queijo. Em ordem, a partir do mais recente: este, este, este, este, este, este, este, este, este, este e este.

Dois exemplos.

1) Em 14/5/2014, escrevi: “Não custa perguntar (mas duvido que algum setorista de Flamengo o tenha feito): se o objetivo da diretoria é reduzir despesas, para que assinar contrato com técnico até dezembro de 2015? Até o fim desse ano não tava bom, não?

2) Em 30/5/2014, escrevi: “Onde está mesmo a diretoria? Cadê as explicações sobre as cagadas sequenciais das últimas semanas? Ninguém dá uma entrevista? Ninguém explica o que houve com Felipe?

O pior é que o contrato que ela assinou com o estrategista vai até o final de 2015. Resta saber se ele dura até o final do primeiro turno.

*  *  *

Algumas companhias aéreas suspenderam temporariamente os voos para Tel Aviv. Houve choro e ranger de dentes, inclusive na mídia 

Os voos para a Palestina estão temporariamente suspensos desde 1948. Aparentemente, ninguém por aqui noticiou, nem se sentiu inseguro ou escandalizado.

Um livro

24/7/2014

Darcy Ribeiro – O povo brasileiro

Internado com câncer, Darcy fugiu do hospital e refugiou-se em Maricá (RJ) para terminar este livro, pois sabia que a morte estava próxima. “Fugi (…) para viver e também para escrevê-lo”, segundo o prefácio. Um trecho:

80027_g“Esse crescimento explosivo entra em crise em 1982, anunciando a impossibilidade de seguir crescendo economicamente sob o peso das constrições sociais que deformavam o desenvolvimento nacional. Primeiro, a estrutura agrária dominada pelo latifúndio que, incapaz de elevar a produção agrícola ao nível do crescimento da população, de ocupar e pagar as massas rurais, as expulsa em enormes contingentes do campo para as cidades, condenando a imensa maioria da população à marginalidade. Segundo, a espoliação estrangeira, que amparada pela política governamental fortalecera seu domínio, fazendo-se sócia da expansão industrial, jugulando a economia do país pela sucção de todas as riquezas produtivas.

O Brasil alcança, desse modo, uma extraordinária vida urbana, inaugurando, provavelmente, um novo modo de ser das metrópoles. Dentro delas geram-se pressões tremendas, porque a população deixada ao abandono mantém sua cultura arcaica, mas muito integrada e criativa. Dificulta, porém, uma verdadeira modernização, porque nenhum governo se ocupa efetivamente da educação popular e da sanidade.

Em nossos dias, o principal problema brasileiro é atender essa imensa massa urbana que, não podendo ser exportada, como fez a Europa, deve ser reassentada aqui. Está se alcançando, afinal, a consciência de que não é mais possível deixar a população morrendo de fome e se trucidando na violência, nem a infância entregue ao vício e à delinquência e à prostituição. O sentimento generalizado é de que precisamos tornar nossa sociedade responsável pelas crianças e anciãos. Isso só se alcançará através da garantia de pleno emprego, que supõe uma reestruturação agrária, porque ali é onde mais se pode multiplicar as oportunidades de trabalho produtivo.

Não há nenhum indício, porém, de que isso se alcance. A ordem social brasileira, fundada no latifúndio e no direito implícito de ter e manter a terra improdutiva, é tão fervorosamente defendida pela classe política e pelas instituições do governo que isso se torna impraticável. É provável que a União Democrática Ruralista (UDR), que representa os latifundiários no Congresso, seja o mais poderoso órgão do Parlamento. É impensável fazê-la admitir o princípio de que ninguém pode manter a terra improdutiva por força do direito de propriedade, a fim de devolver as terras desaproveitadas à União para programas de colonização.”

Rapidinhas rubro-negras

22/7/2014

No Show do Apolinho de ontem (21/7), o repórter que estava cobrindo o Flamengo informou que, caso Ney Franco seja demitido, a multa rescisória da comissão técnica “gira em torno de R$ 1 milhão”. Caso estejam corretas as informações divulgadas pela emissora nos últimos meses, trata-se de uma sequência impressionante de erros da diretoria:

1) Demitir Jayme de Almeida

2) Contratar o estrategista pão-de-queijo

3) Contratar o estrategista pão-de-queijo pagando-lhe o dobro do salário de Jayme

4) Contratar o estrategista pão-de-queijo pagando-lhe o dobro do salário de Jayme até dezembro de 2015

5) Contratar o estrategista pão-de-queijo pagando-lhe o dobro do salário de Jayme até dezembro de 2015 e com multa rescisória alta

Será um jogo dos sete erros? Valha-nos São Judas Tadeu.

Uma música

21/7/2014

Os Paralamas do Sucesso – Saber Amar

Herbert Vianna em grande forma: música e letra simples e belíssimas.

Flamengo 1×2 Atlético (PR)

17/7/2014

É muita notícia ruim na mesma semana: não bastasse a ressaca pelo fim da Copa do Mundo, o Flamengo voltou a jogar pelo Brasileiro.

Trata-se de tragédia anunciada neste blogue.

Decisões brilhantes como recolocar Felipe no gol e passar ao esquema 3-5-2 (e, claro, mudá-lo novamente no desenrolar do jogo, para 4-4-2; mas, vá lá, motivado por contusões) mostram que, apesar da repaginada na forma (incluindo o estilo de roupa “agora sou treinador europeu”), o Rinus Michels que veio das Gerais permanece o de sempre no conteúdo. Para nosso azar.

Três comentários sobre um jogo, para evitar desperdício de tempo meu e do(a) leitor(a):

1) O goleiro adversário jogou na intermediária boa parte do primeiro tempo. Houve momentos em que chegou quase ao meio-campo. O banco do Flamengo estava bem naquela linha de fundo (aliás, onde já se viu a torcida visitante ficar atrás do banco de reservas do mandante? Só no futebol profissional do Flamengo, em que o time viaja quase quatro horas para Macaé para jogar em casa). Ninguém teve a ideia básica de preparar uma jogada para encobrir o goleiro. Nem qualquer dos atletas teve a inteligência, visão de jogo e audácia de Neto Baiano, que, na mesma noite, fez um golaço encobrindo de muito longe o goleiro do Botafogo. Talvez sequer o estrategista pão-de-queijo tenha reparado o posicionamento e avisado aos jogadores.

2) A julgar pela arbitragem de ontem, vem aí algo que eu temia: os juízes viram muitos jogos da Copa e vão sair imitando as numerosas cagadas cometidas, com o sonho de virarem árbitros da Fifa. Resultado: a) muito blá-blá-blá antes de cada bola parada cruzada na área, atrasando o andamento do jogo (e, claro, nenhum pênalti foi marcado por abraço ou puxão de camisa); b) economia nos cartões.

3) Como se a ruindade da diretoria, do técnico e de boa parte dos jogadores (difícil saber, entre os três, quem entende menos de futebol…) fosse pouco, estamos numa maré de azar miserável. Samir, o único que se salvou entre os zagueiros, se machucou batendo uma falta. Paulinho, outro que merece elogios, porque se mata em campo, levou uma sola e também rodou, contundido. Enquanto isso, nenhum dos ex-jogadores em atividade escalados ontem no time titular se machuca…

Uma música

17/7/2014

MC Menor do Chapa – Tony Country

Dia desses, navega pra cá e pra lá, esbarrei com uma música cantada pelo MC Menor do Chapa. Achei no Youtube duas versões: essa e essa.

Aí, fuçando os comentários, fui ver que, na verdade, ela é do MC Felipe Boladão.

Lendo mais ainda, fui saber que Felipe Boladão foi um dos MCs da Baixada Santista assassinados anos atrás. Li matérias a respeito das execuções – com toda a pinta de crimes cometidos por grupos de extermínio – na Caros Amigos e na Fórum. Como muitos assassinatos praticados por agentes e ex-agentes da lei, os anos passam e ninguém é indiciado (quanto mais condenado).

Por fim, tem ainda esse vídeo com o MC Menor do Chapa visitando a casa e a família do MC santista.

Um livro

15/7/2014

Darcy Ribeiro – O povo brasileiro

80027_g“Nenhum povo que passasse por isso como sua rotina de vida, através de séculos, sairia dela sem ficar marcado indelevelmente. Todos nós, brasileiros, somos carne da carne daqueles pretos e índios supliciados. Todos nós brasileiros somos, por igual, a mão possessa que os supliciou. A doçura mais terna e a crueldade mais atroz aqui se conjugaram para fazer de nós a gente sentida e sofrida que somos e a gente insensível e brutal, que também somos. Descendentes de escravos e de senhores de escravos seremos sempre servos da malignidade destilada e instalada em nós, tanto pelo sentimento da dor intencionalmente produzida para doer mais, quanto pelo exercídio da brutalidade sobre homens, sobre mulheres, sobre crianças convertidas em pasto de nossa fúria.

A mais terrível de nossas heranças é esta de levar sempre conosco a cicatriz de torturador impressa na alma e pronta a explodir na brutalidade racista e classista. Ela é que incandesce, ainda hoje, em tanta autoridade brasileira predisposta a torturar, seviciar e machucar os pobres que lhes caem às mãos. Ela, porém, provocando crescente indignação nos dará forças, amanhã, para conter os possessos e criar aqui uma sociedade solidária.”

Uma música

14/7/2014

MC Gringo Brasil – Deutscher Fussball ist geil


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 31 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: