Transmissões esportivas na TV: o torcedor na mão das emissoras

Em matéria de João Peres sobre o governo de Cristina Kirchnner:

Por fim, um negócio bilionário pode deixar de existir ou, no mínimo, tornar-se menos lucrativo. O governo Kirchner estuda declarar o futebol um esporte de “interesse nacional”, o que acabaria com a exclusividade do Clarín sobre a transmissão de partidas da Primeira Divisão. Hoje, o torcedor que quer acompanhar os jogos mais importantes tem duas opções: ir ao estádio ou ouvir pelo rádio. Na verdade, quem pode elege o terceiro caminho: pagar mais de 100 pesos ao mês para ter acesso à cobertura pela TV, um negócio estimado em 9 bilhões de pesos ao ano (em torno de US$ 2,5 bi). Para aprovar a mudança, Néstor Kirchner conta com o apoio dos clubes, hoje insatisfeitos com o pouco que recebem pelos direitos de televisão (Boca e River, os mais abonados, lucram menos de 20 milhões de pesos anuais, algo irrisório se comparado aos ganhos do Clarín com o negócio).

Infelizmente, nossos governos estão longe de ter a coragem de tomar iniciativas semelhantes e defender o direito dos torcedores. Sequer ousam discuti-las. Exemplo da covardia do governo brasileiro em relação ao tema foi o veto ao artigo que obrigava as emissoras a “repassarem à TV Brasil a transmissão de jogos de seleções brasileiras de qualquer esporte, se comprarem os direitos, mas optarem por não transmitir“. Não é à toa que o Ministério das Comunicações do Governo Lula (PT) é ocupado por uma pessoa com o perfil e a história de Hélio Costa (PMDB).

Sobre o assunto, vale a pena ler ainda “Falta de concorrência na transmissão de TV prejudica torcedores“, de Antonio Veiga, no Observatório do Direito à Comunicação.

As emissoras de televisão funcionam sob o regime de concessão pública, a qual deve ser submetida a regras e avaliada constantemente, à luz, por exemplo, dos artigos 220 a 224 da Constituição Federal. Caso não cumpram o determinado – situação que abrange todas as emissoras de televisão aberta no ar hoje no Brasil -, a concessão deve ser suspensa e/ou cassada.

Anúncios

Tags: , , ,

2 Respostas to “Transmissões esportivas na TV: o torcedor na mão das emissoras”

  1. Anselmo Says:

    Sem dúvida que futebol é assunto de interesse nacional. A TV Brasil deveria ter direito automático de transmitir qqr jogo que não passasse em emissora aberta.

  2. Leo Lagden Says:

    Infelizmente, no Brasil ainda estamos atrasados em relação aos assuntos que mexam com interesse de “poderosos”.
    O futebol deveria ter sido declarado de interesse nacional há muito tempo. Enquanto isso, vamos assistindo ao enriquecimento absurdo da CBF e Redes de TV, enquanto os clubes vão definhando e vivendo de migalhas.
    Clubes do porte de Fla, Flu, Vasco, Corinthians e demais não podem continuar nesta situação, pegando cotas adiantadas de transmissões.
    É só comparar os valores que passaram a circular na Inglaterra e no que circula por aqui (descontando obviamente, as diferenças econômicas dos países).

    http://www.blogdoargonio.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: