Rapidinhas

Esta semana passei pelo Estádio Célio de Barros à tarde. Algumas crianças treinavam em uma escolinha de atletismo. É esse espaço – um dos poucos existentes no Rio de Janeiro para a prática da modalidade – que as autoridades responsáveis pela Copa do Mundo querem demolir para construir estacionamento, alegando tratar-se de uma “exigência da Fifa”. A cara-de-pau dos dirigentes ligados ao esporte no Brasil é infinita. E tome dinheiro público na mão deles…

*  *  *

Terça (17/11) tem a última sessão do ano do Cineclube Sport. Será exibido o filme Cordão de Ouro, que aborda a capoeira.

No blogue coletivo História(s) do Sport, o recado dessa semana foi meu: Jorge Ben e o surfe.

*  *  *

Não deixe de ler o artigo “Veneno no seu pulmão“, de Sandra Quintela, do PACS. (via Blog do Eliomar.) Trata-se de dinheiro público (meu, seu e de todos os que pagam impostos no Brasil) sendo utilizado para financiar uma obra irregular, ilegal, ilegítima e criminosa. Não bastasse o Estado brasileiro fazer vista grossa para os crimes de vários tipos cometidos pelas empresas responsáveis, ainda por cima os financia. A mídia gorda e vendida, como sempre, enaltece a atuação de empresas que destroem o patrimônio coletivo, violam direitos humanos e trabalhistas, perseguem trabalhadores e lideranças comunitárias. Um trecho:

Essas denúncias já foram apresentadas na Câmara de Deputados, na Assembléia Legislativa, na Câmara de Vereadores – RJ, ao BNDES, entre outros órgãos do Estado brasileiro. No entanto, este empreendimento, a Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA), com todas essas denúncias por trás de si, continua sendo incensado pela grande imprensa como um dos símbolos da suposta recuperação econômica do Rio de Janeiro. Ora, a siderúrgica terá quase toda sua produção exportada para, principalmente, os EUA e a Ásia, num aparente sinal de modernidade. Mas, na prática, as denúncias se avolumam e o silêncio das autoridades anuncia a cumplicidade de um poder que não representa os interesses do povo e do bem viver.

Anúncios

Uma resposta to “Rapidinhas”

  1. Belo Monte é o fim do mundo, mas o governo toca pra frente « A Lenda Says:

    […] Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA), no Rio de […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: