Rapidinhas

Gravidez não planejada, falta de jeito com as garotas, pais separados e o mundo lá fora que insiste em não te entender. É, vida de adolescente não é fácil. Ainda bem que existem o esporte e seus ídolos. É sobre essas e outras que trata o texto da semana, de minha autoria, no blogue História(s) do Sport. Nele, comento o livro Slam, de Nick Hornby.

*  *  *

Agora é assim: o pesquisador produz conhecimento sobre a realidade. Aí, os descontentes (nos casos em questão, justamente os responsáveis pelos problemas indicados nos estudos) processam os pesquisadores sob a justificativa de “pedir esclarecimentos” – na verdade, uma forma de intimidar quem produz conhecimento crítico e ao mesmo tempo útil à sociedade (deveria ser útil aos governos também, subsidiando a tomada de decisão e a elaboração de políticas públicas). Li sobre o tema faz algumas semanas no Brasil de Fato. A matéria falava de processo contra a professora Raquel Rigotto, da UFC, por conta de suas pesquisas apontando os danos causados pelo uso de agrotóxicos no Brasil.

Bom saber que veículos da mídia corporativa como a ditabranda Folha de S. Paulo também andam dando visibilidade ao tema. O assunto é muito grave, pelo precedente que abre. Pelo visto, as grandes empresas e corporações querem apenas pesquisas sobre o sexo dos anjos. E o Estado, o que fará? O mínimo – mínimo mesmo – é que os órgãos em que trabalham os pesquisadores providenciem advogados para defendê-los. Mas o que os ministros da Educação e da Ciência e Tecnologia têm a dizer?

*  *  *

Às vezes, lendo apenas um texto, é possível aprender mais do que com uma porção de zunzunzuns, reportagens, colunas, compartilhamentos no Facebook, imagens, comparações (frequentemente esdrúxulas) e afins que circulam por aí, especialmente na mídia corporativa. Pensei nisso ao ler, no Brasil de Fato, este artigo de Raphael Tsavkko sobre a Síria.

É de ficar triste com o que parecer vir por aí, ainda mais olhando os exemplos vizinhos do Líbano e do Iraque…

*  *  *

E o Congresso vai aprovando outra contrarreforma da Previdência Social proposta pelo governo dos Partido dos Trabalhadores (PT). Novamente, ferra-se o futuro dos servidores públicos e incentiva-se a privatização de recursos importantes (via fundos de pensão).

Contudo, reforma agrária, tributária e política, entre outras… Ah, essas ainda não tempo deu tempo de fazer. Afinal, estamos em 2012 e o partido assumiu em 2003. Pouco tempo, sem dúvida. Ou, vai ver, a “correlação de forças não é favorável”, como insistem muitos por aí. Mas para prejudicar os trabalhadores…

Anúncios

Uma resposta to “Rapidinhas”

  1. LUIZ ROGERIO Says:

    CONCORDANDO COM O QUE O SENHOR DISSE,SOBRE LER TEXTOS TAMBEM ACHO QUE É MELHOR FAZER UMA BOA LEITURA,AO INVES DE FICAR´PERDENDO TEMPO ANALISANDO ATUALIZAÇOES NO FACEBOOK E NO TWITTER,AO LERMOS SEMPRE NÓS aprendemos muito a leitura deveria ser um direito de todos.nós viajamos e envolvendo-se com as historias dos livros ADQUIRINDO MAIS CONHECIMENTOS E MAIS CULTURA TAMBEM.SOBRE OS Paises oprimidos pelos seus governos é triste ainda saber que existe repressao aos direitos de liberdade de expressao perantes os cidadões ,que só querem teer o direito de pensar e expressar suas opinioes e ideias.nesse mundo de vilolencia por parte dos governANTES TIRANOS QUE ACHEM DIZENDO QUE fazem tudo somente pARA O BEM DO POVO ,PURA DEMAGOGIA POLITICA DELES.ELES MASSacram esse mesmo povo nao admitindo interferencia nenhumas dos outros países.e assim vao ganhando mais poder.carissimo rafael fortes soares muito obrigado pelA SUA ATENÇAO,O SENHOR ESCREVE MUITO BEM E SOBRE TEMAS BEM ATUAIS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: