“Ato homenageará trabalhadores vítimas das obras das Olimpíadas Rio 2016”

Pingou na caixa postal divulgação deste evento, marcado para hoje. Divulgo pelo registro, muito importante.unnamed

Onze mortos. Nenhuma cobertura sôfrega das corporações de mídia. Nenhuma pressa para apontar culpados ou responsáveis. Nenhuma classificação do ocorrido como terrorismo, nem dos patrões responsáveis como terroristas. Nenhuma coletiva de imprensa espalhafatosa do ministro careca do ABC para apresentar providências.

Reproduzo abaixo o texto de divulgação:

*  *  *

A construção civil é, atualmente, o segundo segmento da economia brasileira com maior número e proporção de lesões no trabalho. Desde que tiveram início as obras dos Jogos Olímpicos Rio 2016, 11 trabalhadores perderam a vida e 3 foram vítimas de acidentes graves. O Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador (Cesteh/ENSP/Fiocruz), em parceria com outras instituições, promoverá o ato Vidas perdidas nas obras das Olimpíadas do Rio de Janeiro: uma homenagem aos trabalhadores, no dia 28 de julho, às 11 horas, cobrando das empresas e da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, assim como de outros órgãos públicos, mudança nas condições e organização do trabalho, além de garantia efetiva da vida e da saúde dos trabalhadores.

Participam do ato as seguintes instituições e seus respectivos representantes: Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da Escola Nacional de Saúde Pública, da Fundação Oswaldo Cruz (Cesteh/ENSP/Fiocruz); Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc-SN); Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro do Ministério do Trabalho e Emprego; Internacional de Trabalhadores da Construção e da Madeira (ICM Brasil); Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Construção Pesada Intermunicipal do Rio de Janeiro (SITRAICP); e Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Construção Civil do Rio de Janeiro (SINTRACONST-RIO).

O evento objetiva alertar a sociedade sobre as mortes e acidentes graves nas obras dos grandes eventos e exigir das autoridades a criação de instrumentos que proporcionem condições de segurança e de saúde aos trabalhadores. Segundo o professor Francisco Pedra, “durante as 260 ações da equipe de fiscalização do Ministério do Trabalho, nas obras dos Jogos Olímpicos Rio 2016, 1.675 autos de infração foram emitidos e, em 39 ocasiões, as construções foram embargadas, o que corresponde a 15% delas. As obras para as Olímpiadas de Londres foram concluídas sem registro de mortes”.

Ao longo do evento, haverá pronunciamento dos representantes dos trabalhadores e dos familiares das vítimas, representantes das instituições promotoras, e uma Carta será lida em nome do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) e entregue à imprensa. Além disso, haverá o plantio de uma árvore e colocação de uma placa em homenagem aos trabalhadores. A programação do evento terá início às 11 horas e se encerrará às 12h40.

Serviço:

Vidas perdidas nas obras das Olimpíadas do Rio de Janeiro: uma homenagem aos trabalhadores

Data: 28 de julho
Horário: a partir das 11 horas
Local: Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) 
Endereço: Rua Leopoldo Bulhões, n. 1.480, Manguinhos – Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: