Archive for the ‘Geral’ Category

Rapidinhas

1/6/2018

Um secretário que durante sete anos não participou das principais decisões da sua pasta e que sequer tinha poder para comprar um parafuso. Essa afirmação foi feita por Julio Lopes nesta segunda-feira (21/5) à CPI dos Transportes da Alerj, que foi a Brasília tomar o depoimento de Julio Lopes, ex-secretário de Transportes de Cabral, e que esteve à frente da pasta de 2007 a 2014.

O ex-secretário estadual de transportes é deputado federal pelo PP/RJ. Ou seja, é ou já foi colega de partido de Paulo Maluf, Jair Bolsonaro, Francisco Dornelles, Ana Amélia, Eurico Miranda e outros. Numerosas barbaridades aconteceram durante sua gestão à frente da Secretaria de Transportes do RJ, incluindo acidentes, mortes, aumento de tarifas e redução da oferta de serviços. Deve haver 20 ou 30 menções a isto neste blogue.

Pois agora, o sujeito, que também foi dirigente do Flamengo, vem com essa caozada de que não tinha nada a ver com a história. Pior do que ele, só o ex-secretário de Segurança Pública, que ficou 10 anos no cargo e nunca percebeu que estava cercado de bandidos.

*  *  *

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), ex-ministro do governo da Coração Valente e ex-vice-líder do Governo Lula no Senado, quer autorizar um aumento das passagens de ônibus que é muito maior do que a inflação acumulada. Na verdade, é maior até do que o dízimo! A pilantragem corre solta em vários municípios do estado do Rio, bem como nas relações entre o governo estadual e a bandidagem das empresas privadas concessionárias de serviços públicos de transporte. Uma parte dos problemas atuais está neste texto do deputado estadual Eliomar Coelho (PSOL/RJ).

*  *  *

Muitas pessoas estão – corretamente – criticando o governo do Mordomo de Filme de Terror porque cortará dinheiro de áreas sociais para subsidiar o preço dos combustíveis. Não custa lembrar: no inicinho de 2015, a Coração Valente começava seu segundo mandato. Escolheu um gabinete e botou para frente o projeto neoliberal que havia sido derrotado nas urnas. Só na verba da Educação deu uma facada de R$ 7 bilhões – dinheiro que viria a ser usado para subsidiar o lucro dos ricos, via superávit primário e pagamento dos juros da dívida. Não sei o que disseram, à época, aqueles que estão estarrecidos com as medidas de hoje do Mordomo.

Anúncios

Rapidinhas

30/4/2018

Um importante documento: a “Carta à juventude, em defesa do Brasil” do historiador Roberto Bittencourt da Silva.

*  *  *

Menos de dois meses para a Copa e os nomes que discutimos e citamos são os de juízes, desembargadoras e generais – geralmente, pelas cagadas que fazem, pelos absurdos que assinam, pelas palavras bizarras que proferem, pelos artigos da Constituição que violam.

Houve tempos em que o foco estava nos nomes que deveriam ou não aparecer na lista de convocados…

*  *  *

Dada a imensa intolerância religiosa que vigora hoje no Rio de Janeiro, com ênfase na perseguição às religiões de matriz africana, essa notícia é um alento.

*  *  *

Enquanto isso, na Faixa de Gaza, a bestialidade do estado-nação colonizador com um governo de extrema-direita segue firme. Sexta-feira foram quatro palestinos assassinados. E seguem os protestos pelo direito de retorno, neste ano em que se completam 70 anos da Nakba, por ocasião da fundação do Estado de Israel. A colonização imbeciliza e desumaniza os colonizadores.

*  *  *

O campeonato estadual de futebol do Rio, vulgo Carioca, é essa beleza que muitos de nós acompanhamos. Melhor a cada ano, né? Em 2018 teve formigueiro e tudo! A cada clássico, dias antes temos uma novela em que não se sabe em que estádio, cidade ou estado será o jogo…

Ano que vem periga inventarem um regulamento em que a final será jogada entre o sétimo e o oitavo colocados na primeira fase, mas mantendo 4934030 semifinais e finais de turno, três voltas olímpicas com taça num certame que dura três meses etc. Nada disso é ridículo aos nossos olhos e aos do pessoal de outros estados do Brasil, né?

Deve ser por isso que o atual presidente da Federação foi reeleito hoje. Recebeu voto de três dos quatro principais clubes.

Observação: ao menos nessa a diretoria do Flamengo não me decepcionou.

Um texto: “Ocupar as redes de rádio e TV”, por Marcelo Salles

18/4/2018

Vale a pena ler de novo: “Ocupar as redes de rádio e TV“. O texto é de 2008, do jornalista Marcelo Salles. O título correto do texto original é “Ocupar as redes de rádio e TV”. Infelizmente amplos setores da esquerda só atentam para a iniciativa agora, que há muito menos condições de democratizar a comunicação.

 

Um vídeo

18/4/2018

“A gente ensina o bom caminho, aí vem a polícia e ensina o mau caminho.” Diz a mãe de um dos presos.

Tudo feito sob o comando, as ordens, as bênçãos e os elogios de generais do Exército Brasileiro, atualmente responsáveis pela segurança pública no Rio de Janeiro. Já tivemos UPPs e UPAs. Mais uma vez, para o mal, o Rio é o balão de ensaio do que vem por aí no Brasil.

Veja o vídeo produzido pelo The Intercept:

https://theintercept.com/2018/04/16/operacao-policial-contra-milicianos/

 

Rapidinhas

11/4/2018

Alguns mandatos parlamentares do PSOL na ALERJ e na Câmara Municipal do Rio têm feito um excelente trabalho em prol de melhorias no sistema de transporte público da região metropolitana. Exemplo disso é o relatório paralelo da CPI dos Ônibus elaborado pelo mandato de Tarcísio Motta. Vale conferir essa notícia no Brasil de Fato.

*  *  *

Um dos objetivos do governo do Mordomo de Filme de Terror é destruir a estrutura estatal voltada para a prestação de serviços públicos e a garantia de direitos da população. O dinheiro público economizado com tal programa de destruição é transferido para os ricos do pagamento de juros da dívida pública. Outra face da política de enriquecer os ricos são os incentivos fiscais. Segundo uma matéria da Carta Capital, eles “superam gastos com Saúde e Educação“. Um trecho:

Em meio à onda de bloqueios de verbas, as universidades federais renegociam contratos com prestadores de serviços e reduzem até o cardápio dos restaurantes universitários. Pressionado pela demanda crescente, o Sistema Único de Saúde também se vê ameaçado pelo subfinanciamento.

Apesar do sacrifício imposto à população, o Brasil deverá abrir mão de mais de 283,4 bilhões de reais em renúncias fiscais em 2018. Estimado pela Receita Federal, o valor é superior à soma dos orçamentos da Educação e da Saúde: 107,5 bilhões e 131,4 bilhões, respectivamente. Nos últimos anos, os incentivos e benefícios fiscais tiveram forte expansão.

Contudo, como os dados do texto explicitam, as renúncias fiscais do atual governo apenas aprofundam política já muito ampliada no tempo em que o Partido dos Trabalhadores esteve na Presidência:

Em 2006, os gastos tributários, nomenclatura usada pelo Fisco ao se referir ao valor que a União deixa de recolher com as desonerações, somavam 77,6 bilhões de reais em valores absolutos, o equivalente a 15,3% das receitas, ou 3,33% do PIB. Em 2014, eles totalizavam 257,2 bilhões de reais, 22,38% da arrecadação e 4,45% de todas as riquezas produzidas naquele ano.

 

 

Rapidinhas

2/4/2018

Boa entrevista com o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL/RJ).

*  *  *

Luis Nassif: “Xadrez do pós-Temer e as eleições“.

*  *  *

Recentemente, lendo o excelente Reflexões Rebeldes, de Cid Benjamin, me deparei com esta ótima história envolvendo o próprio, Leandro Konder e Minotauro. Coisas desse fenômeno delicioso chamado esporte.

*  *  *

O mestre Wanderley Guilherme dos Santos, sobre a turma da Lava-Jato:

Ignorância significa desconhecimento de assunto bem definido, sem ofensa pessoal. A ignorância socialmente criminosa é aquela que acarreta prejuízos a terceiros. Pelas entrevistas e documentos escritos, é mais do que razoável duvidar que os procuradores da Lava-Jato e o juiz Sergio Moro entendam com eficiência mínima a natureza da infraestrutura de um país complexo, os efeitos diretos e colaterais das grandes empreiteiras em matéria de emprego e comércio exterior, e certamente nunca ouviram menção a “efeito multiplicador” sem suspeitar de aumento no valor da propina. Todos são noviços em reflexões estratégicas sobre o traçado dos eixos rodoviários e ferroviários, a localização das grandes usinas e a distribuição geoeconômica dos aeroportos. Com um mínimo de leitura extraescolar teriam procedido à investigação e punição dos comprovados predadores da economia sem causar a monumental desarticulação de segmentos inteiros da infraestrutura material do país.

Executaram Marielle Franco

15/3/2018

Voto numa mulher (Dilma Rousseff) para presidente, derrubam na mão grande. Voto noutra (Marielle Franco) para vereadora, executam a tiros a sangue-frio. A execução acontece durante – e, acredito, por causa de – uma intervenção MILITAR decretada por quem assumiu a presidência após derrubar a primeira.

E ainda vai ter um monte de gente que vai vir falar que as instituições democráticas estão funcionando, que não há machismo pois uma mulher preside o Supremo etc.

*  *  *

Assassinatos e violações de direitos humanos em Acari.

Marielle Franco, minha vereadora, assassinada.

Marielle Franco, councillor and police critic, shot dead in targeted killing in Rio.

Os crimes e o libera-geral do Estado policial passam bem, obrigado

10/12/2017

Por uma série de motivos, não tenho atualizado este blogue com a frequência que gostaria. Contudo, a escrotidão de setores investigativos – e, em tese, preocupados com o cumprimento da lei – do serviço público federal na ação recente na UFMG merece registro. Elio Gaspari, que é até comedido quando se trata desses assuntos, foi ao ponto.

Rapidinhas

30/9/2017

Nesta excelente entrevista, Arthur Koblitz, do BNDES, faz uma análise aguçada e contundente da tragédia que vivemos no Brasil.

Aliás, um dos motivos que fazem do BNDES uma instituição estatal fundamental para uma nação soberana e desenvolvida é atrair e manter quadros que sejam capazes de pensar o país – coisa que os atuais dirigentes da nação, bem como a maioria dos membros do Judiciário e do Legislativo, parece claramente incapaz de fazer.

*  *  *

Nada mudará na segurança pública do Rio de Janeiro enquanto os debates na sociedade e a cobertura midiática se basearem em ficções, firulas, mentiras e cortinas de fumaça. É muito bom ouvir Vinicius George, um delegado de polícia, dizer com todas as letras verdades que convenientemente são omitidas na cobertura do assunto produzida pelas corporações de mídia:

a) militares das Forças Armadas, policiais e colecionadores privados de armas são os principais fornecedores de armas e munições para os criminosos do Rio de Janeiro. (Ou seja, tais fornecedores são criminosos e membros de quadrilha.)

b) só existe venda de drogas no varejo no Rio de Janeiro com pagamento regular de arregos à polícia.

Enquanto isso, as corporações de mídia seguem com a ficção – conveniente para todos os bandidos, inclusive os servidores públicos corruptos, fardados ou civis – de que há uma guerra entre polícia e tráfico no Rio de Janeiro.

*  *  *

Os brasileiros que andam deslumbrados com Portugal, sem nada saber sobre as razões políticas para os ascensos e descensos da economia e do funcionamento dos serviços públicos naquele país (da mesma forma que não compreendem as razões para os nossos próprios ascensos e descensos), que não sabem o que é esquerda ou direita, nem ouviram falar da Troika, fariam bem em ver o filme “São Jorge”. Na obra de ficção, o país real que não aparece para os turistas deslumbrados – e que, caso aparecesse, se recusariam em enxergar.

Outro aspecto relevante que passa ao largo das análises dos deslumbrados: embora muito católico e conservador, na média me parece que Portugal avançou mais do que nós nas legalizações do aborto, das drogas e do casamento gay. Estas três legalizações são fundamentais para:

a) uma sociedade/país chegar ao século XXI

b) a redução de mortes, prisões e sofrimento desnecessários

c) a garantia de direitos das pessoas e a redução das violações destes direitos, seja por por agentes privados (inclusive familiares), seja por agentes do Estado.

Não só Portugal, aliás… Espanha, Argentina, e por aí vai.

*  *  *

Pingou na caixa postal excelente reportagem do Truco, projeto da Agência Pública. Ela apresenta evidências de que o distritão, que muitos deputados e senadores querem aprovar no Brasil, vai piorar bastante o nosso sistema político e a composição do Congresso.

É justamente por isso, aliás, que determinados setores e partidos querem adotá-lo.

*  *  *

Dentro da confusão que nos assola, Luis Nassif acrescenta uma interessante e curiosa variável a considerar: a Maçonaria.

 

Rapidinhas

15/8/2017

O mestre Wanderley Guilherme dos Santos, numa avaliação curta e definitiva sobre o período que vivemos e sobre o que precisa ser apresentado como projeto nas próximas eleições (caso elas venham a ser realizadas e de forma livre, claro):

À esquerda, o problema não é agônico, mas exigente. Se não prometer a convocação de plebiscito autorizando o governo a revisar a legislação antisocial, eliminar a insanidade econômica e reparar as brechas abertas na aba militar da soberania nacional, se não for para isso, pode esquecer. A taxa de votos brancos, nulos e de abstenção baterá recordes. Retomar emprego e salário depende de investimento produtivo e circulação de mercadorias a baixo custo. As fontes de investimento são a poupança interna das empresas, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que a direita alucinada quer reduzir a brechó, e o sistema financeiro. A empresa privada é dona do destino de sua poupança, mas a política do BNDES é responsabilidade do governo. Em acréscimo, cabe a um governo popular estrangular a exploração rentista beneficiando bancos, obrigando-os a prover empréstimos de longo prazo aos empreendedores, grandes e pequenos, com garantia de remuneração razoável fixada pelo mercado, que fingem respeitar, e não com os negócios especulativos que manipulam e controlam.

*  *  *

O deputado federal (PT/RJ) e ex-presidente da OAB/RJ, Wadih Damous, colocou bons pingos em alguns is: “Dallagnol e a ANPR: a defesa desonesta de inexistentes regalias corporativas“.


%d blogueiros gostam disto: